[Crítica] The Walking Dead Episódio 14 da 8ª Temporada – A grande metáfora

Um episódio longo, e não apenas pelos minutos a mais, mas, realmente, uma grande metáfora, contada de forma cansativa.

[Vale ressaltar, como o nome sugere, trata-se de uma crítica, o conteúdo a seguir reflete a opinião de seu autor. Sinta-se livre para concordar, ou discordar, total ou parcialmente, o importante é que sua opinião seja expressada com respeito e educação.]

Se você, assim como eu, estava procurando qual seria o pior episódio dessa segunda metade da oitava temporada, temos aqui um candidato. Episódio com alguns minutos a mais de duração, foi o suficiente para causar cansaço.

Embora possa parecer que u vá massacrar o episódio, não será isso o que vocês lerão aqui. O único defeito foi ele ser cansativo, pois trata-se de um episódio interessante de desenvolvimento de personagens, alguns acréscimos à trama e plot twist.

(Aqui vai um spoiler de leve, único do texto, para vê-lo, basta selecionar o texto)

Vamos começar com o único spoiler que deste texto: O Henry está vivo… Pronto, fim dos spoilers. Agora você decide se isso é bom, ruim, ou meio meh…

(Aqui termina o spoiler)

Vamos começar falando das atuações… Incrível como a Carol cortava bem a lenha, e de repente, se distraiu e quase descasca a madeira com aquela machadada errada logo no comecinho… Tá bom, brincadeiras a parte, este foi um episódio cheio de boas atuações, talvez por ter cenas que tratavam mais do emocional das personagens.

Por falar em personagens, a mudança vivida pela Tara está impressionante… Ela parece ter se tornado um gênio e superado muito bem o ódio que ela nunca havia demonstrado pelo Dwight até o meio dessa temporada. Este é o problema da série não ter tratado muito de desenvolver personagens no passado, e o pior é que tivemos a sétima temporada inteira que só serviu para duas coisas, sabermos que tem Oceanside (novamente esquecida) em algum lugar, e o povo do lixão (estes, que pelo menos, serviram para alguma coisa).

Para finalizar as tecnicidades, a direção de arte foi essencial para entendermos a grande metáfora final do episódio, que basicamente começou no amanhecer e terminou ao cair da noite do mesmo dia. Para quem não entendeu (não que eu lhes traga verdades, mas, pelo menos o que eu entendi, foi que isso tudo se tratava de uma metáfora), o episódio trata de esperança e transformação, até há a analogia com transformação em zumbi, mas, não é só esse tipo de transformação, trata-se da transformação de caráter, a transformação moral. E a direção de arte foi essencial para transmitir tão brilhante conceito.

Foram acrescentados alguns elementos de suspense à série, propositadamente jogados ali apenas para prender nossa atenção e aumentar o hipe de que a série não vai acabar na nona temporada, ou talvez acabe, caso estes elementos todos não sejam devidamente explorados.

A dupla Jadis e Negan mostraram que têm uma boa sinergia em tela, mesmo que a brilhante Jadis tenha demonstrado o quanto que ela consegue ser burra… Ou, o quanto que o Negan sofre do mal do protagonismo, mesmo sendo antagonista. As cenas deles não chegaram a causar o suspense desejado, exceto quando algo realmente interessante e novo foi jogado na nossa cara, e em seguida, como se não fosse nada muito importante, foi simplesmente posto em banho maria.

Eu não sei quantas reviravoltas tivemos neste episódio, pois a todo instante a esperança vinha e ia, às vezes em maior, outrora menor intensidade, estas viradas na história mexiam com nossas emoções… Teve até ceninha clichê de personagem chegar a um lugar aberto, não ter nada e de repente, ser pego desprevenido, e eu acho que não fui o único a achar a cena muita forçação de barra apenas para ter um pouco de ação no episódio.

No final, quando estava achando que o teaser promocional tinha mostrado cena do episódio 15, percebi que este 14 ainda não tinha acabado, e ainda tinha mais uns 5 minutos de cenas para mostrar, entre elas a que faltava do teaser, que foi bem menos do que aparentava ser.

Foi um episódio que em alguns momentos conseguiu ser bastante envolvente, mas no final, pareceu ser só mais um filer mesmo. Talvez, para saber o que houve com o Negan seja interessante, entender possíveis fatos que possam desencadear algum plot twist, ou maior tensão no episódio 15, também pode ser importante, e até mesmo para algum evento lá no meio da 9ª ou 10ª temporadas (se a gente ainda lembrar desse aqui)…

Não foi um episódio feio, nem mal dirigido, com atuações acima da média TWD de ser. Tudo isso para um filer, então, podemos esperar algo muito bom para os próximos, principalmente o último que já disseram que terá mais de 1 hora de duração. Antes de assistir o 8×14, certifique-se de não estar cansado, do contrário, os bocejos acontecerão, e o cansaço vai bater, e no final, vai ficar aquela coisa: não foi ruim, mas estou com a sensação de expectativas não atendidas.

Ricardo Januário

Um pouquinho geek, levemente nerd, e quando se trata de Pokémon ou Final Fantasy até me considero gamer. Sou um jornalista formado como destaque da turma, amo escrever e compartilhar meu conhecimento e informação com o maior número de pessoas, defendendo a liberdade à informação e cultura.

%d blogueiros gostam disto: